sábado, 16 de julho de 2011

Sobre o amor.

           Quando gostamos de alguém ficamos parecidos com a pessoa, queremos estar perto dela, queremos aproveitar os mesmos momentos e mesmos sentimentos.
           Quando não somos correspondidos a tendencia é errar tanto com aquela pessoa que acabamos por afastá-la ainda mais. São tentativas de se fazer notar, mas que fazem a gente se apagar e parecer uma criança mimada querendo atenção.
           Quando eu gosto de alguém, tento ser eu mesma . . . mas acabo sendo eu demais, isso torna tudo muito mais constrangedor . . . isso por que as pessoas percebem nossas intenções com cada palavra que dizemos, com cada gesto em falso que fazemos.
           Às vezes é necessário fingir, fugir, deixar pra trás e seguir como se tudo estivesse certo, mesmo estando com uma dor no coração e com a cabeça girando. Desapego, preciso praticar . . . a Glinda disse que está na moda.
           Quem sou eu pra saber como se desapega de alguém? Pra saber como se doma um coração ou como se faz amar também?
           Procuramos respostas que na verdade não existem. Eu procuro amores impossíveis. Tentamos ser o que a pessoa amada deseja. Eu me perco todo dia em mim mesma. Fingimos amar a quem nos ama. Eu não amo por compaixão a quem quer ser amado. 
           Ninguém me ama só por que eu quero ser amada.

4 comentários:

  1. Na verdade nós mentimos ser alguém que não somos para nós mesmos, não só no "amor relacionamento". Mas de fato, é verdade isso, nós acreditamos que quanto mais parecidos ficarmos com o ser amado, mais amados seremos por ele... ta errado isso :)
    Mas no fim tudo é muito gostoso!

    ResponderExcluir
  2. Eu amo a Éri, porque eu AMO o jeito Éri que a Éri tem!!

    ResponderExcluir
  3. O amor dura em média vinte minutos. O desapego é instantâneo e aliviante.

    ResponderExcluir
  4. Jama Jama... vc e suas poesias!!! =P

    ResponderExcluir